Imposto de Renda: dicas para uma declaração rápida e precisa!

Tempo de leitura: 13 minutos

Chegou a época do ano em que profissionais liberais, empresários e muitos trabalhadores celetistas têm uma preocupação em comum: a Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF). Além disso, sabemos que um gestor de clínica médica precisa organizar todas as informações necessárias para a declaração. Por esse motivo, vamos abordar:

  • Os principais erros na declaração de IR
  • Como declarar seus rendimentos como gestor
  • Como informar despesas para dedução
  • Como se preparar para a DIRPF

O passo a passo para a DIRPF é simples:

  1. Junte a documentação necessária
  2. Baixe o gerador da declaração, que já está disponível, clicando aqui.
  3. Escolha o modelo de declaração: completo ou simplificado
  4. Preencha as informações com base nas dicas que daremos a seguir.
  5. Envie sua declaração até o dia 30 de Abril.

A dificuldade no imposto de renda está relacionada com a exigência de que as informações sejam precisas. Por isso, leia o artigo até o final antes de começar a preencher a sua declaração. 

Como evitar os principais erros na declaração

gestao amplimed sistema

Nosso principal objetivo neste artigo é ajudar você, gestor de clínica, a organizar as informações necessárias e evitar erros na sua declaração de IR. Essa prestação de contas anual ao Leão é sempre um desafio. Além disso, toma muito tempo se você não estiver com todas as informações preparadas.

Neste artigo, o blog UOL Economia explica como funciona o cruzamento de informações por parte da Receita Federal. Além disso, demonstra os principais erros na declaração que podem ser considerados tentativas de fraude:

  • Erros de digitação
  • Omissão de rendimentos
  • Informar deduções falsas
  • Incluir dependente inexistente

Fique atento para não cometer esses equívocos. Afinal, se for confirmada a tentativa de fraude, a multa pode chegar a 150% do valor sonegado além de ser aberto um processo criminal. Então, não adianta dizer para o Leão que foi “sem querer” ou que você estava sem tempo para fazer a declaração.

Erros de digitação

Entre todas as atividades da sua rotina diária, você precisa encontrar alguns momentos de concentração para preencher a DIRPF. A atenção é essencial. Afinal, um caractere errado pode trazer muitos problemas.

  • Não use ponto para separar reais e centavos;
  • Evite inserir valores arredondados.

Você não tem tempo. São muitas informações para preencher e o risco de ter algum erro de digitação é significativo. Cuidado!

Omissão de rendimentos

Parece óbvio, mas ainda assim é importante ressaltar: não esqueça de declarar todos os seus rendimentos (e de seus dependentes). Qualquer inconsistência entre as informações declaradas e suas movimentações bancárias, por exemplo, é motivo para cair na malha fina.

  • Resgate de investimentos: declare.
  • Bolsa estágio do filho ou dependente: declare.
  • Pensionamentos: declare.
  • Indenizações em processos judiciais: declare.

Inserir deduções falsas

Você deve conhecer muitos médicos. Algum desses conhecidos já foi convidado por algum paciente a emitir uma nota por uma consulta que nunca existiu – sob a premissa de deduzir do IR do paciente?

Essa ideia é muito frágil. Tenha cuidado, inclusive, se um dia você for convidado a esse tipo de atitude! O cruzamento de informações feito pela Receita Federal está cada vez mais preciso. Por isso, também é importante pesquisar bastante antes de inserir qualquer informação como possível dedução. Gastos com materiais escolares, livros e mensalidades de cursos complementares, apesar de estarem relacionados com educação, não são dedutíveis.

Incluir dependente inexistente

Uma pessoa só pode ser incluída como dependente em uma única DIRPF. Por exemplo, se um casal tem um filho, este filho só pode ser incluído na declaração de um dos pais. Além disso, inclua como dependentes pessoas que você sustente, em que há um vínculo financeiro real. Por isso, tenha sempre em mãos documentos comprobatórios deste vínculo, seja um termo de adoção, termo de guarda judicial, etc.

É importante destacar que não estamos apontando estes erros como uma má intenção da sua parte. Nosso foco é alertar quanto a equívocos possíveis ao preencher a declaração com pressa ou sem as devidas informações. No fim das contas, o Leão não quer saber das suas intenções… ele quer precisão e clareza na sua DIRPF.

Rendimentos como sócio de clínica médica

Se você tem rendimentos mensais originados no caixa da sua clínica, você deve declarar como pró-labore. Esse tipo de pagamento é destinado aos sócios de uma empresa que prestam serviços a ela. Por isso, solicite ao contador da sua clínica a Declaração Anual de Rendimentos para ter a exatidão de quanto você recebeu da sua própria empresa.

No momento de preencher a declaração, você deve escolher a opção “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”, colocando os dados da sua empresa como fonte pagadora. Siga estes passos:

  1. No programa da DIRF, abra a ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”;
  2. Preencha o campo Fonte Pagadora com os dados da sua clínica;
  3. Preencha o campo Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica com o somatório de todo pró-labore anual – use as informações do item Total de rendimentos (inclusive férias) do seu informativo de rendimentos.
  4. Preencha o campo “Contribuição previdenciária oficial” com as informações do respectivo item do seu informe de rendimentos.
  5. No campo, “Imposto de Renda Retido na Fonte” (IRRF), utilize também o valor informado na sua declaração de rendimentos;
  6. Os campos 13º salário  e IRRF sobre 13º salário não são aplicáveis ao pró-labore. Deixe em branco.  

Devo declarar que sou sócio de uma empresa?

rendimentos sistema clinica

Sim. A sociedade em uma empresa é um bem da pessoa física. Ou seja, quando você é sócio de uma empresa tem no seu patrimônio pessoal uma parcela (em cotas) do patrimônio total da empresa.

Para declarar a participação na empresa, você deve preencher a ficha Bens e Direitos.  Veja o passo a passo:

  1. No programa da DIRF, abra a ficha “Bens e Direitos”;
  2. Utilize o código “32 – Quotas ou quinhões de capital”;
  3. Informe a localização “105 – Brasil”;
  4. Faça a discriminação.
  5. Valor atual e no ano anterior: utilize o valor que consta no seu Contrato Social.

Ao discriminar a sua participação, você pode utilizar a seguinte frase:

SÓCIO COM (x) COTAS DA EMPRESA (Razão Social) – (CNPJ)

Você pegou um empréstimo no caixa da clínica?

Isso acontece quando você faz uma retirada do patrimônio da sua empresa com a intenção de devolver o capital posteriormente. Na sua DIRPF, o montante da retirada deve ser declarado como uma dívida.

  1. Utilize a ficha “Dívidas e Ônus Reais”
  2. Utilize o código 13 – “Outras Pessoas Jurídicas”
  3. Faça a discriminação da dívida.
  4. Informe o valor da dívida em 31/12/2017; o valor da dívida em 31/12/2018.
  5. Informe o valor pago em 2018.

A discriminação da dívida pode ser feita com a seguinte estrutura:

MÚTUO CONCEDIDO PELA EMPRESA (informe Razão Social e CNPJ da sua clínica), NO MONTANTE DE R$ (xx), DEVENDO SER PAGO EM (xx) VEZES.

Mas o contrário também pode acontecer. Você pode adicionar recursos financeiros ao capital da sua empresa. Veja como lançar esse movimento na sua DIRPF.

Você transferiu recursos para sua clínica?

Ao longo de 2018, você pode ter colocado dinheiro no próprio bolso para o funcionamento ou para a expansão da sua clínica. Então, essa transferência precisa ser declarada. Para isso, você precisa classificá-la entre três tipos:

Aporte de capital integralizado

Consiste na transferência financeira para aquisição de mais cotas ou para a ampliação do capital social da sua empresa. Assim, o principal requisito para classificar a transferência como capital integralizado é que esse valor conste em documento oficial, como Contrato Social ou Requerimento de Empresário.

O lançamento desse aporte na sua DIRPF deve ser feito na ficha Bens e Direitos, seguindo os passos que indicamos acima (no subtítulo: “Devo declarar que sou sócio de uma empresa?”)

Aporte de capital não integralizado

Esse é um tipo de transferência em que você adiciona capital à sua empresa sem que esse valor integre o Capital Social. Em outras palavras, é um valor injetado no funcionamento ou na expansão da empresa que não está registrado em Contrato Social.

Você deve lançar este valor na ficha Bens e Direitos, utilizando o código “99 – Outros bens e direitos”. A discriminação pode ser feita com a seguinte frase:

MONTANTE CONCEDIDO A TÍTULO DE ADIANTAMENTO DE FUTURO AUMENTO DE CAPITAL (AFAC) DA EMPRESA (indicar Razão Social e CNPJ).

Empréstimo concedido para a empresa

Esse tipo de lançamento vale caso você tenha transferido recursos para sua empresa sem a intenção de integrar ao patrimônio. É uma espécie de empréstimo, já que você tem a expectativa de retorno do capital ao seu patrimônio pessoal.

Em contabilidade, este é um tipo de valor classificado como bem a receber. Então, na sua DIRPF, deve ser lançado na ficha de Bens e Direitos, também com o código 99, mas com a seguinte discriminação:

MONTANTE CONCEDIDO A TÍTULO DE MÚTUO PARA A EMPRESA (indique Razão Social e CNPJ). TOTAL DE R$ (xx), COM DEVOLUÇÃO EM (xx) PARCELAS, POR (xx) MESES.

Despesas dedutíveis no IRPF 2019

As principais despesas que podem ser usadas para a diminuição do valor do imposto de renda são:

  • Dependentes: limite de R$2.275,08 por pessoa
  • Educação: limite de R$3.561,50
  • Despesas com saúde: não há limites.

Dependentes

Uma das principais mudanças para a declaração de imposto de renda neste ano é a obrigatoriedade de inclusão do número do CPF de todos os dependentes. Assim, a regra não possui exceções quanto à idade. Portanto, mesmo para dependentes menores de 18 anos ou recém-nascidos é necessário incluir a informação.

Podem ser declarados dependentes:

  • Cônjuge ou companheiro(a): casamento ou união estável (desde que tenha um filho ou viva junto há mais de cinco anos). A regra vale para relacionamentos homoafetivos e heteroafetivos.
  • Filhos e enteados: até 21 anos ou em qualquer idade se incapacitados para o trabalho. Podem ser incluídos se tiverem até 24 anos, mas estiverem cursando ensino superior ou ensino técnico.
  • Irmãos, netos e bisnetos: a regra de idades é semelhante à utilizada para filhos e enteados. Exige-se, no entanto, guarda judicial.

Leia a reportagem da revista Exame, clicando aqui, para saber mais detalhes sobre inclusão de dependentes na DIRPF.

Educação

As despesas com educação podem ser deduzidas do Imposto de Renda até o limite de R$3.561,50. São incluídos gastos com

  • Educação Infantil
  • Ensino Fundamental
  • Ensino Médio
  • Educação Profissional
  • Educação Superior

Basicamente, são permitidas as deduções referentes às mensalidades e a alguns gastos adicionais. Não são dedutíveis gastos com escola de idiomas, preparatórios para concursos ou para vestibular, material escolar e transporte.

Saúde

Os gastos com saúde devem ser declarados e não há limites para dedução no IR. Para isso, é necessário que você especifique, em cada despesa, o CNPJ dos prestadores de serviço que você consultou.  Caso você tenha um plano de saúde, é importante solicitar um informe anual de pagamento. Assim, você pode copiar as informações para a DIRPF.

Poupe tempo na declaração de IR

A carga tributária do país pode impactar seu patrimônio de forma significativa. Para garantir sua saúde financeira, você precisa ter cuidado com o lançamento das suas rendas e das suas despesas. Afinal, qualquer erro pode fazer você cair na malha fina e ser multado.

O mais importante é saber exatamente quanto ganhou e quanto gastou no ano anterior à declaração. Assim, imagine se você for guardar todos os cupons fiscais de gastos com saúde por exemplo. É provável que, na época da declaração, as informações dos cupons já tenham se apagado.

Além disso, você gasta muito tempo unindo informações de diferentes informes de rendimentos e de despesas. Já falamos aqui sobre como reduzir os gastos na sua clínica. Também criamos um checklist para você escolher o melhor sistema de gestão para seu negócio.

Mas, além disso, é essencial que você tenha um sistema que informe seus rendimentos de forma rápida, segura e associada com o fluxo da sua empresa. Implemente a tecnologia no seu dia a dia e dificulte a vida do Leão! Evidente que você não deve sonegar impostos, mas deixar de pedir deduções ou pagar multas por erros na declaração não parece uma boa ideia.

Você pode trazer uma solução “mágica”: contratar um contador. É claro que um profissional trará mais segurança na hora de declarar seu patrimônio. Mas, ainda assim, você vai precisar entregar ao contador todas as informações da sua movimentação financeira anual.

Portanto, para poupar tempo na DIRPF, mantenha seu foco em organização! Para melhor organizar suas informações financeiras, você precisa de um sistema para

  • Geração/Inserção de informações
  • Arquivamento
  • Relatórios

Na hora da declaração, basta um “copia e cola” para seu contador ou diretamente para o sistema da Receita Federal.

O time Amplimed é especialista em trazer organização, precisão e expansão para seus negócios.

Sinta a facilidade que você pode ter todos os dias!

P.S: A sua clínica ainda não possui agendamento online?🤭

Experimente agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.