Assine a newsletter
e receba nossos
conteúdos.

Assine a newsletter

Saúde digital: entenda o que é e como usar a seu favor

Tempo de leitura: 11 minutos

A tecnologia auxilia no desenvolvimento de inúmeras áreas da atuação humana. Com a medicina não é diferente. A inovação tecnológica vem há anos promovendo avanços na saúde por meio da invenção de sistemas e equipamentos. Isso não só na parte física, como por exemplo a nanotecnologia que proporciona processos menos invasivos, mas também no compartilhamento de informações para muitas pessoas ao mesmo tempo, independentemente da distância.

Para isso são utilizados aplicativos, princípios da automação e da inteligência artificial que resultam em rotinas mais práticas, eficientes e dinâmicas tanto na vida do médico quanto do paciente.

Muitos desses processos foram intensificados com a pandemia da Covid-19 que reforçou a necessidade de ter fácil acesso a informações e um sistema que se adeque tão rápido quanto as mudanças que esse novo cenário trouxe. Neste texto você vai entender o que é saúde digital, qual a importância para os dias de hoje e qual impacto você terá na sua rotina.

O que é saúde digital?

Esse termo é utilizado para se referir a iniciativas tecnológicas utilizadas na produção e divulgação de informações sobre o estado de saúde de cada cidadão para fazer tratamentos, pesquisas de cada caso e acompanhar doenças. Essa ideia também é conhecida como Saúde 4.0 e serve para unificar informações e históricos clínicos de cada um, como remédios já tomados, consultas, cirurgias e exames realizados.

Esse assunto tem sido abordado cada vez mais porque a Organização Mundial da Saúde, a OMS, começou a elaborar a Estratégia Global de Saúde Digital em 2019 com a intenção de potencializar os esforços que cada local tem quando o assunto é saúde. Dessa forma, quanto mais compartilhamento de conhecimento e experiência houver entre empresas, centros de pesquisas e universidades de cada país, mais fácil pode ficar para melhorar a qualidade de tratamentos oferecidos, gerando mais qualidade de vida para a população mundial.

Essa sistemática também vem para ajudar no monitoramento da saúde populacional, sendo possível rastrear surtos de doenças para trabalhar com gerenciamento de crises sanitárias e prevenções.

No Brasil, essa estratégia é feita pelo DATASUS e pelo Ministério da Saúde a fim de nortear e alinhar projetos públicos e privados que possam cooperar para o firmamento e fortificação da saúde digital no país.

Algumas iniciativas já sinalizam a presença da saúde digital em solo brasileiro, como o Conecte SUS que é um aplicativo que registra toda a trajetória de quem utiliza o Sistema Único de Saúde. Ele permite a consulta de medicamentos já utilizados por determinado paciente, bem como os exames feitos e as consultas agendadas. Dentro dessa ferramenta, ainda está estruturada a Rede Nacional de Dados em Saúde que funciona como uma plataforma digital de integração de todos esses dados. Com o surgimento da pandemia da Covid-19, essa Rede também foi utilizada para teleconsulta e como local de informações sobre a doença para os usuários do aplicativo.

Para que isso seja possível, é necessário reunir softwares que já existem atualmente, como por exemplo as ferramentas da Tecnologia de Informação e Comunicação, também conhecida como TIC. Esses são alguns exemplos de princípios do TIC que já são utilizados no Brasil:  

  • Armazenamento na nuvem para ter mais segurança em relação a dados importantes. É utilizado para que a organização não fique refém de um servidor local que pode sofrer de panes inesperadas, incêndios, alagamentos ou ainda eventos naturais como raios. O armazenamento na nuvem também vem como uma forma de romper as barreiras geográficas, permitindo que os dados sejam acessados independente do local.
  • Comunicação unificada para que todas as informações estejam reunidas em um único lugar, facilitando o acesso para todos os profissionais da área médica. Essa prática facilita a comunicação e diminui gastos com ligações e suportes.
  • Aparelhos móveis que podem ser acessados em qualquer local, como smartphones e e notebooks. Assim se torna possível editar e compartilhar arquivos com mais facilidade e agilidade.

Telemedicina X Telessaúde X Saúde Digital

Telemedicina é um instrumento que amplia os atendimentos médicos por meio de ferramentas tecnológicas de comunicação, aproximando médico e paciente, independente do local que estão. A teleconsulta é um exemplo concreto desse conceito. Ela é um dos itens tecnológicos que são utilizados pelos médicos com mais intensidade desde 2020.

Por outro lado, a Telessaúde é definida pela portaria 2546 de 2011 como estabelecimento autônomo que faz utilização das tecnologias para prestar assistência e educação em saúde através de distâncias geográficas e temporais. É por meio da telessaúde que um médico pode assistir a um procedimento ou a uma cirurgia que está acontecendo a quilômetros de distância, por exemplo. A teleconsultoria, o telediagnóstico, o telemonitoramento, a telerregulação e a teleeducação são os quatro campos em que a telessaúde está presente.

As palavras telemedicina e telessaúde têm significados diferentes, mas possuem duas coisas em comum. A primeira coisa é o termo grego tele, que quer dizer distância. A segunda coisa é que ambas fazem parte de um conceito ainda mais abrangente que é a Saúde Digital.

O termo Saúde Digital contempla mais tarefas do dia a dia médico e incorpora outros avanços tecnológicos. O termo é usado quando queremos falar de estratégias globais para melhorar o cuidado com o paciente a partir de recursos digitais que auxiliam em procedimentos, treinamentos, dados, análises e pesquisas.

Quais são os benefícios da Saúde Digital?

Imagina se você tivesse acesso a todos os dados e informações relevantes sobre o seu paciente logo no primeiro dia de consulta. Seria mais fácil de entender o que está acontecendo com ele e qual tratamento médicos utilizar naquele momento, não seria? Sem contar que você não teria mais o risco do paciente esquecer alguma parte do histórico médico e de tentativas feitas anteriormente.

O maior benefício da Saúde Digital é a redução dos problemas durante os cuidados de saúde, aumentando o bem-estar para o cidadão e reduzindo custos médicos enquanto os atendimentos são mais certeiros e personalizados de acordo com o paciente.

É uma iniciativa positiva para pessoas que trabalham ou utilizam serviços de saúde, podendo cooperar com avanços na melhoria da qualidade de vida de todos nós trazendo:

1 – Novas forma de educação

Se um dos requisitos a ser implantado na saúde digital é o compartilhamento de técnicas e conceitos entre universidades de todo o mundo, os estudos não poderiam ficar fora disso. Utilizando a educação a distância em algumas áreas da medicina é possível fornecer oportunidades de aprendizado que eram desconhecidas ou inalcançáveis até então. Com a saúde digital, médicos das mais variadas especialidades podem aprimorar a capacitação acadêmica em boas instituições com especialistas dos cinco continentes. Com novas técnicas e tendo acesso a novas descobertas, os profissionais da saúde podem avançar ainda mais na carreira.

2 – Facilidades

Algumas tarefas podem ser automatizadas te fazendo economizar tempo, dinheiro e logística. A longo prazo, essa facilidade permitida por softwares gera mais produtividade durante a sua rotina ou nas funções desempenhadas pelos colaboradores da sua clínica.  Aderir às ferramentas da Saúde Digital é também uma forma de diminuir processos por meio da metodologia lean, como já te contamos nesse texto.

A prestação de serviço se torna mais funcional e atrativa aos pacientes que buscam o consultório porque podem ter acesso a consultas e resultados de exames de um jeito mais simples. Utilizar um sistema para marcação de consultas é um exemplo prático nesse caso.

O paciente ganha porque não precisa ir até a clínica e nem mesmo fazer uma ligação para agendar uma consulta. Ou seja, o paciente pode fazer uma marcação qualquer horário do dia, ainda que seja final de semana ou feriado. Na outra ponta do processo, o consultório também se beneficia por precisar de uma quantidade menor de funcionários destinados a agendamentos de consultas. Além disso, o gestor também é poupado de transtornos nas agendas, uma vez que o software impede marcações simultâneas e viabiliza o agendamento por profissionais e especialidades. Confira mais benefícios do agendamento online.

3 – Tratamento e acompanhamento do paciente

Outro ponto importante que é criado a partir das técnicas utilizadas na saúde digital é o mecanismo de teleconsulta, plataforma necessária no atendimento à distância em tempo real.

A telemedicina se popularizou muito após o início da pandemia da covid-19 para evitar aglomerações e contágios durante a consulta médica. Dessa forma, ainda que o paciente estivesse na mesma cidade que o médico, era possível realizar a consulta para descobrir o que estava acontecendo com a saúde de determinada pessoa e, ao mesmo tempo, manter o isolamento social. Cumprindo assim um dos objetivos da saúde digital que é levar saúde e qualidade de vida a todos e a qualquer momento.

Ainda que a rotina seja retomada completamente ao que era antes da pandemia, a telemedicina é um recurso que pode permanecer por anos devido a facilidade que as duas pontas do processo encontraram nesse recurso.

Essa plataforma também quebra barreiras geográficas e permite que profissionais da área médica se conectem com pessoas que precisam dos seus trabalhos ainda que um esteja muito longe do outro. A saúde digital também ajuda a chegar em locais afastados das capitais e centros urbanos que costumam ter um sistema de saúde mais limitado e concentrado apenas em casos mais comuns do dia a dia. Com a utilização da teleconsulta, a sua clínica pode atender pacientes que vivem em cidades mais isoladas apenas com ajuda de dispositivos móveis e redes de conexão de internet. Saiba aqui mais pontos positivos que a teleconsulta pode te proporcionar.

4 – Precisão no diagnóstico

A Estratégia Global de Saúde Digital prevê centralizar as informações do paciente, assim como o histórico clínico, em um só lugar. É como se fosse um grande prontuário que possui acesso permitido a todos os médicos, ainda que de forma remota. Esse novo procedimento permite que algumas etapas do atendimento sejam agilizadas e o tratamento acontece de forma mais rápida e certeira. Mas para que isso aconteça, é necessário que as informações estejam em uma esfera digital, ou seja, o prontuário precisa ser eletrônico desde o preenchimento até o arquivamento.

Essa nova realidade chama atenção para a questão da segurança de dados. Por isso, durante a escolha do seu prontuário eletrônico, tenha certeza de que o software é protegido. Na ferramenta da Amplimed, por exemplo, o sistema já está adequado à Lei Geral de Proteção de Dados.

 Do lado mais prático para a rotina dos gestores de clínicas médicas, o prontuário eletrônico te ajuda a economizar espaço físico, uma vez que dispensa pilhas de documentos de cada paciente. Isso pode reduzir o tempo de espera do paciente, tanto no momento em que ele chega na clínica, quanto pra buscar informações específicas daquele caso. Você pode saber mais sobre o prontuário eletrônico da Amplimed neste texto.

O telediagnóstico também faz parte das ações de saúde digital. Ou seja, profissionais de diferentes localidades podem auxiliar os colegas de profissão a entender o caso e concluir rapidamente um diagnóstico por meio da emissão de laudos a distância. Esse processo contribui para o paciente que consegue começar o tratamento adequado o mais rápido possível.

Quanto mais o tempo passa, mais necessidades vão surgindo com o intuito de melhorar os serviços oferecidos pela medicina. A saúde digital é uma iniciativa que vai estar cada vez mais presente no cotidiano nos próximos anos. Se você quiser introduzir a sua clínica médica nessa dinâmica, comece preenchendo seus dados abaixo para testar o Sistema Médico da Amplimed! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.