Tabela CBHPM: como calcular o valor da consulta de forma padronizada?

Tempo de leitura: 6 minutos

A Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) é utilizada como parâmetro para cálculo de consulta médica. O principal objetivo da tabela CBHPM é garantir uma remuneração adequada pelos atendimentos terapêuticos e diagnósticos. Se você, como médico e gestor, busca organizar a administração financeira de sua clínica, a padronização do cálculo para cobrança dos procedimentos é uma excelente estratégia. Além disso, com a Tabela CBHPM você consegue unificar os recebimentos de diferentes convênios médicos, ao invés de aceitar o pagamento de acordo com tabelas das próprias operadoras.

Neste artigo, você saberá:

  • O que é a CBHPM?
  • Qual a importância da classificação?
  • Como calcular o valor da consulta médica com base no CBHPM?

Continue a leitura até o final, pois apresentaremos um exemplo prático.

O que é a Tabela CBHPM?

A CBHPM é elaborada pela Associação Médica Brasileira (AMB) e as sociedades de especialidades médicas. Essas instituições contam com o apoio da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) e o apoio de todas as entidades médicas nacionais:

  • Associação Médica Brasileira (AMB);
  • Federação Nacional dos Médicos (FENAM);
  • Conselho Federal de Medicina (CFM).

Antes da CBHPM, cada operadora de plano de saúde poderia criar sua própria tabela de valores. Dessa forma, existiam diferentes códigos para cada procedimento, sem qualquer lógica de hierarquização. Como consequência, o valor dos procedimentos era baixo e os médicos mal remunerados. Com a colaboração entre AMB, CFM, FENAM e FIPE-SP, a CBHPM foi criada com uma divisão em 14 portes, cada um deles com três subdivisões. A implantação da nova classificação ocorreu de forma progressiva. Diferentes operadoras de planos de saúde assumiram a CBHPM, culminando no reconhecimento pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

A regulamentação da Tabela CBHPM tem como base a Resolução CFM nº 1.673/03. Neste documento o CFM adota a CBHPM como padrão mínimo e ético de remuneração dos procedimentos médicos para o Sistema de Saúde Suplementar. Além disso, define que os valores relativos aos portes de procedimentos médicos deverão ser determinados pelas entidades nacionais, com auxílio da Comissão Nacional de Honorários Médicos. Assim, deve-se considerar que as variações regionais devem ser aprovadas pelas Comissões Estaduais ou regionais de Honorários Médicos.


 

Qual a importância da CBHPM?

A Tabela CBHPM é importante tanto para os profissionais da área da saúde quanto para os pacientes. Para os médicos, a classificação traz como benefícios a remuneração justa, sugerida pelos representantes da classe profissional. Além disso, a Tabela CBHPM facilita o controle de custos dos negócios na área da saúde.

Afinal, é possível analisar os dados sobre os procedimentos executados e sua remuneração padronizada. A partir desses dados, os gestores podem fazer projeções de custos e de faturamento. Outra vantagem é que, ao atender por convênio médico, o repasse não dependerá de tabela específica da operadora.

A Tabela CBHPM também traz benefícios para a população. Com uma classificação hierarquizada dos procedimentos, é possível identificar quais condutas são cientificamente comprovadas e validadas pelas entidades médicas. Dessa forma, a relação médico paciente conta com maior transparência, o que aumenta a satisfação com o atendimento.

Além desses benefícios gerais, a classificação ainda traz vantagens práticas para as clínicas médicas:

  • Transparência na prestação de serviço;
  • Preservação da qualidade do atendimento médico no país;
  • Padronização das cobranças;
  • Remuneração justa para os procedimentos;
  • Valor unificado nas cobranças entre diferentes convênios médicos.

Ainda vale destacar que a Tabela CBHPM não traz desvantagens para as clínicas, pois sua padronização foi pensada com base na complexidade e nos custos de cada procedimento. Por isso, as clínicas podem cobrar seus honorários sem que os pacientes se sintam lesados. Afinal, trata-se de um padrão de cobranças baseado no serviço prestado, com referência a sugestões de precificação a nível nacional. Além disso, a qualidade do atendimento é que define as vantagens de concorrência. Não será preciso que o paciente escolha a consulta com base no preço.

Como calcular o valor da consulta com a Tabela CBHPM?

A CBHPM estabelece faixas de valores para os atos médicos a partir de seus portes. A listagem não indica valores monetários, mas sim a identificação dos procedimentos e uma referência para o cálculo padronizado do preço. A hierarquização é feita a partir da divisão dos procedimentos médicos em 14 portes, agrupados em três subdivisões: os grupos A, B e C.

Essa divisão segue parâmetros como:

  • Complexidade técnicas;
  • Tempo de execução;
  • Atenção requerida;
  • Grau de treinamento necessário do profissional.

A partir destes parâmetros, foram criados os portes e seus subportes. A cada reajuste da Tabela CBHPM é definida uma nova Unidade de Custo Operacional (UCO). A UCO incorpora depreciação de equipamentos, manutenção, mobiliário, imóvel, aluguéis, folha de pagamento e outras despesas relacionadas aos atendimentos. Portanto, a fórmula para calcular honorários médicos pela CBHPM é a seguinte:

(Valor do porte * Valor do subporte) + (Custo Operacional * UCO) = Preço

Tanto os valores dos subportes quanto da UCO são corrigidos a fim de compensar perdas provocadas pela inflação. A base de cálculo para o reajuste é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), medido pelo IBGE. Segundo comunicado oficial da AMB, publicado em 18 de Outubro de 2019, o valor vigente da UCO é R$21,07. Este referencial é válido até o mês de Setembro de 2020, quando deverá ser feito novo comunicado com o reajuste. Além disso, a versão mais recente da Tabela CBHPM pode ser adquirida no site oficial da Associação Médica Brasileira. 

Exemplo prático

Então, vamos a um exemplo de aplicação da Tabela CBHPM ao cálculo de um procedimento. Faremos o cálculo para o teste 10,11 Epóxido Carbamazepina, soro.

Localização na CBHPM: Bioquímica, código 4.03.22.35-1

Porte: 0,04 de 1A

Valor do subporte 1A = R$ 23,46

Custo operacional deste teste: 6,942

Valor da UCO: R$ 21,07

Cálculo do porte: 0,04 x (Valor do subporte 1A) = 0,04 x R$ 17,38 = R$ 0,9384

Cálculo do custo operacional: (Custo operacional) x UCO = 6,942 x R$ 21,07= R$ 146,26794

Preço final do teste: R$ 0,9384 + R$ 146,26794= R$ 147,20 (com arredondamento)

Neste artigo você descobriu o que é a Tabela CBHPM e os principais benefícios de utilizá-la em sua clínica médica. A padronização do cálculo do valor dos procedimentos e consultas é um princípio importante para sua gestão financeira.

Agora, se você quiser gerenciar os custos da sua clínica com precisão, conheça: “6 estratégias práticas para reduzir custos na clínica médica”.

Sobre o autor: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.