III Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde

Tempo de leitura: 10 minutos

A Eretz.bio, incubadora de Startups do Hospital Israelita Albert Einstein, realizou o III Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde, no dia 10 de Setembro. O evento ocorreu na cidade de São Paulo e trouxe as principais novidades sobre tecnologia na saúde. As palestras surpreenderam o público com as inovações trazidas pelas principais referências nacionais e internacionais. 

O Encontro foi voltado para empreendedores, investidores e profissionais da saúde, dos setores público e privado. O objetivo do Encontro foi de ampliar e fortalecer a interação entre lideranças do setor em escala global. Para isso, contou com palestrantes de oito nacionalidades, entre eles: 

  • Allen Kamer (Israel), Managing Partner da Qure Ventures
  • Assaf Barnea (Israel), CEO da Sanara Ventures
  • Bráulio Bonoto (Chile), Fundador e CEO na América Latina da Psyalive
  • Cesar Carvalho (Brasil/EUA), Cofundador e CEO Global do Gympass
  • Cristina Montero (Uruguai), Gerente na Khem Incubadora de Empresas de Base Tecnológica
  • Jason Waterman (EUA), Senior Manager of Business Development na Porsche Consulting
  • Javier Cardona (Colômbia), Cofundador e CEO da 1DOC3
  • John Whang (EUA), Head de Evidências Integradas em Metabolismo na Janssen Pharmaceuticals
  • Jose Luis Nuño Ayala (México), Fundador e CEO da Unima
  • Mobasher Butt (Reino Unido), Chief Medical Officer da Babylon Health
  • Sidney Klajner (Brasil), Presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

Os principais momentos do evento foram as palestras, em que as principais referências em tecnologia na saúde reuniram-se para compartilhar suas trajetórias e visões de futuro. Os temas foram:

  • Transformação Digital: oportunidade e Desafios
  • Ecossistemas de empreendedorismo em Saúde
  • Startups de Saúde LATAM
  • A jornada de um cientista empreendedor
  • Liderança para inovação & Intraempreededorismo

Neste artigo, apresentamos os principais cases e insights do evento. Leia até o final para ficar atualizado sobre as inovações que estão transformando os negócios na área da saúde. 

Tecnologia na saúde: a visão de futuro do diretor de inovação do Hospital Albert Einstein 

José Claudio Terra, Diretor de Inovação do Hospital Albert Einstein, definiu o evento como “Woodstock da Saúde”. O Encontro contou com a participação de mais de 200 startups inscritas, representando diferentes atuações no setor da saúde. Assim, Claudio Terra destacou o esforço de países como Chile e Uruguai no desenvolvimento de tecnologias. Segundo ele, ambos os países contam com um mercado pequeno e, mesmo assim, pensaram globalmente desde o início. 

Claudio Terra destacou a importância do ecossistema tecnológico para área da saúde, em que diferentes atores fortalecem mutuamente seu crescimento. O Diretor destacou que o objetivo dos empreendedores que estiveram no evento é oferecer soluções para problemas de gestão e assistência em saúde. 

Eles estão aqui para resolver problemas relevantes na área da saúde. – Claudio Terra

Um dos momentos de maior impacto durante o evento foi a palestra com o CMO da Babylon Health. Segundo Claudio, trata-se da startup mais impressionante e inquietante em termos globais. Foi apresentado um vídeo com o potencial tecnológico da Babylon Health, em que a inteligência artificial atuava como um médico. No final da apresentação, ao invés de aplaudir, o público silenciou, com o surpreendente alcance da startup britânica. 

Mostraremos, abaixo, duas das principais inovações que surpreenderam o público em São Paulo:

  • A Inteligência Artificial da britânica Babylon Health;
  • A praticidade e a precisão da mexicana Unima

Babylon Health: a startup que surpreendeu especialistas 

A Babylon Health é uma startup do Reino Unido que utiliza chatbots e inteligência artificial em dispositivos móveis para assistência de pacientes. A inovação é apresentada em forma ferramenta utilizada é um aplicativo para Smartphones que faz checagem de sintomas e sugere cuidados ou especialistas que possam ajudar. Para isso, a Babylon combinou uma estratégia de tecnologia baseada em inteligência computacional e o auxílio de especialistas reconhecidos em suas áreas de atuação. 

O aplicativo funciona da seguinte forma:

  1. Paciente sente algum desconforto.
  2. Faz download e cadastro no aplicativo.
  3. Insere seus sintomas.
  4. A Babylon oferece sugestões de condutas e informações sobre o caso

Conecta paciente e médico

Além de oferecer triagem de sintomas, uma rede de clínicos gerais fica 24 horas à disposição do aplicativo para consultas presenciais ou por videoconferência. Também é interessante notar que, ao acessar o aplicativo, o paciente é convidado a participar de uma pesquisa rápida, com informações básicas como sexo e idade. Para solicitar essas informações, o aplicativo mostra a seguinte mensagem: 

Ajude a tornar a assistência em saúde acessível. Nós gostaríamos de conhecer mais sobre você para prover melhores cuidados para todos. Nós sempre removemos suas informações pessoais para proteger sua privacidade.

De forma simplificada, a Babylon está explicando a funcionalidade da Big Data. Explicamos o tema com mais detalhes no artigo “Inovação sem freios: Inteligência artificial e data analytics elevando o nível dos atendimentos médicos”. Assim, o aplicativo utiliza as informações do paciente para expandir a sua base de dados. Com a análise das novas informações coletadas, a inteligência computacional amplia sua capacidade de prestar assistência. 

Se você quiser conhecer o aplicativo, ele está disponível na Google Play e na Apple Store

Inovação com impacto social

Além de facilitar a busca individual por atendimento, aplicativos como o Babylon também contribuem para a saúde pública. O app é utilizado para reduzir a busca nos serviços de atendimento públicos da Inglaterra, funcionando como uma triagem. 

Afinal, o próprio aplicativo é capaz de avaliar os sintomas e indicar (ou não) a procura pelo atendimento humano. Para isso, o app é capaz de ouvir e classificar os sintomas, em possíveis quadros clínicos e em diferentes níveis de agravamento. De acordo com o diagnóstico preliminar, o aplicativo pode recomendar:

  • Repouso
  • Ingestão de medicamentos
  • Atendimento médico

Reportagem da Revista Época Negócios indicou alguns dos resultados da utilização do Babylon Health no Reino Unido. Ao ligar para serviços de atendimento não emergencial no país, os pacientes poderiam escolher entre o atendimento humano e o download do aplicativo.

Das 40 mil pessoas que testaram o serviço, 40% foram direcionadas a tratamentos autoaplicados. 

Nesse sentido, o aplicativo pode funcionar para reduzir a procura por hospitais e outros serviços da rede de saúde em casos de menor gravidade. Além disso, pode servir como incentivo à procura por especialistas em casos mais graves. 

Unima: teste de hepatite pela tela do smartphone 

A startup mexicana Unima também apresentou uma ferramenta que surpreendeu o público. Em síntese, a empresa oferece teste de Hepatite com a utilização de um papel especial e o aplicativo. Por isso, a iniciativa também possui um propósito de impacto social. A Unima se apresenta da seguinte forma:

Nós desenvolvemos uma tecnologia para diagnósticos rápidos e de baixo custo para que médicos, enfermeiros e trabalhadores de saúde comunitária possam diagnosticar doenças diretamente no local de atenção, em menos de 15 minutos, sem o uso de equipamentos de laboratório. 

A Unima traz mais uma inovação que transforma o atendimento em saúde. A tecnologia chegará chegará ao Brasil em 2022. Então, veja como funciona. 

O exame é realizado em três passos:

  1. Coleta de sangue
  2. A gota de sangue é depositada sobre um papel especial
  3. O profissional faz uma fotografia do papel a partir do aplicativo

A coleta do sangue é feita da mesma forma que o teste de glicose, com uma pequena gota. O segredo do procedimento está no desenvolvimento da folha de papel. Assim, trata-se de um recurso biotecnológico, que possui uma proteína recombinada que detecta biomarcadores específicos da doença. Essa proteína gera uma reação visual no papel quando entra em contato com o biomarcador, na amostra de sangue. 

A partir da fotografia, o aplicativo utiliza algoritmos de análises visuais para indicar o resultado. Além de indicar a presença da doença, o aplicativo armazena informações contextuais da amostragem. Então, essas informações ficam armazenadas em bancos de dados na nuvem e subsidiam pesquisas e tecnologias em desenvolvimento. Assim, os profissionais são capazes de diagnosticar e iniciar os tratamentos sem o tempo de espera pelas análises laboratoriais. 

Tecnologia na saúde com foco em prevenção

A utilização de novas tecnologias na prevenção de doenças e na promoção de saúde também foi tema de palestra no evento. Cesar Carvalho, CEO Global da Gympass, apresentou o case de sucesso, que inovou o acesso às academias. Presente em 14 países, com mais de 48 mil academias cadastradas, a Gympass funciona por meio de um aplicativo que aproxima usuários e academias. 

A Gympass aplica tecnologia na saúde, facilitando o acesso de pessoas a diferentes estilos de academias e estúdios de treinamento. Assim, com uma assinatura mensal ou com pagamento de diárias, os usuários podem utilizar várias opções de academia disponíveis, na sua cidade ou durante as viagens. Para os proprietários de academias, basta fazer um cadastro, aderindo ao modelo de negócios da Gympass. 

No Brasil, a empresa conta com 21.700 academias parceiras, 755 modalidades esportivas, presentes em 1.537 cidades. Além disso, a Gympass possibilita que os usuários indiquem academias em seu site. Assim, a empresa entra em contato com a academia sugerida e apresenta seus planos de adesão. Dessa forma, os novos parceiros do app são aqueles que já agradam o público. A Gympass propõe o seguinte:

A cada dia, escolha a academia que preferir e tenha uma rotina saudável.

Por isso, a empresa é um exemplo de aplicação da tecnologia na prevenção e promoção de saúde. A Gympass utiliza a tecnologia para oferecer praticidade. Além disso, a empresa acompanha a tendência da área da saúde em visar à prevenção e não somente à solução das doenças. Assim, além dos exemplos sobre aplicação tecnológica em exames e cuidados, é importante acompanhar essa iniciativa que facilita a prevenção e manutenção da vida saudável. 

Conclusão

O III Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde trouxe novidades que impactaram o mercado. Mostrou que a aplicação de tecnologia na saúde busca soluções para problemas sociais relevantes. Assim, a tecnologia transforma, impacta a sociedade, traz maior praticidade para seus negócios e qualidade de vida para seus pacientes. 

O objetivo da Amplimed é revolucionar a saúde no Brasil. Por isso, estamos sempre à frente, atentos às novas tecnologias para trazer o que há de melhor para o mercado nacional. Então, aproveite nossos conteúdos e acompanhe de perto a transformação tecnológica do nosso setor. 

Quer essa praticidade para a sua clínica? Clique abaixo e faça um teste gratuitamente. 

Iniciar teste gratuito

 

Sobre o Autor: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.