Telemedicina: A polêmica inovação tecnológica que chegou para ficar

Tempo de leitura: 17 minutos

A Medicina avança. Junto com ela, avançam os recursos tecnológicos para aprimoramento da prática médica. Se antes o apogeu da tecnologia em um consultório era uma máquina de fax, atualmente, o mercado oferece soluções surpreendentes para problema do dia a dia de uma clínica. Cabe a você, médico e empreendedor, preparar sua empresa para aderir a essas novidades. Então, você está pronto para a Telemedicina?

Neste artigo, vamos tratar de conceitos básicos e de aspectos práticos para implantação da telemedicina, considerando a urgência desse tema.

  • Conceito de Telemedicina
  • Suas aplicações
  • Exigências para implantação
  • Como um sistema de gestão pode ajudar a se preparar?
  • Passo a passo para utilizar Telemedicina

Leia até o final e veja como é simples se preparar para a inovação!

Telemedicina: inovação que divide opiniões

O Conselho Federal de Medicina (CFM) criara, no último mês de Fevereiro, uma nova regulamentação para os atendimentos a distância mediados por plataformas virtuais: a telemedicina. A Resolução 2.227/18 gerou muito alarde entre profissionais da Saúde, principalmente, entre médicos. Diante de diversas manifestações, favoráveis e contrárias à regulamentação, o CFM decidiu revogá-la. O principal argumento desfavorável à telemedicina, apontado por alguns profissionais, foi o prejuízo à relação médico paciente.

Embora a nova resolução tenha despertado maior atenção dos profissionais, a telemedicina não é uma novidade no país. A Resolução nº 1.643/2002, do CFM, que continua em vigor, aborda o tema de forma menos aprofundada, mas possibilita que os médicos utilizem plataformas virtuais para mediar suas consultas. Além disso, o instrumento também possibilita a troca de informações entre profissionais a partir dessas plataformas.

A publicação, a agitação e a posterior revogação da nova resolução do CFM evidenciam que o país está avançando na utilização de recursos tecnológicos para área da saúde. Mesmo tendo revogado para melhor analisar a resolução, o CFM se mostrou favorável a esse avanço. Então, cabe aos profissionais conhecer e utilizar essas novas ferramentas. Para isso, é preciso entender o conceito, as aplicações e os recursos de segurança de cada ferramenta. Tenha em mente que a telemedicina pode fazer a sua clínica decolar desde que você saiba como implantar no seu negócio.

Conceito de Telemedicina

Na nova resolução, o Conselho Federal de Medicina (CFM) definiu Telemedicina como:

Exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde.

Perceba que a Telemedicina tem papel mediador para a prática da Medicina. Portanto, possibilita o exercício da prática médica aliado às inovações tecnológicas. Também é importante notar que a Telemedicina não surge como um recurso para substituir o médico, tampouco, para diminuir a atenção do profissional ao paciente. É um recurso que aproxima os melhores recursos da medicina aos pacientes sem limites geográficos.

A utilização da telemedicina atinge as áreas de:

  • Atendimento ao paciente;
  • Estudo, ensino e pesquisa;
  • Promoção e Prevenção em saúde;
  • Resolução cooperativa de casos especiais.

A novidade está, portanto, no impacto da Telemedicina nas práticas de saúde. Os principais objetivos da implantação são:

  • Crescimento das empresas na área da saúde;
  • Troca de conhecimentos entre profissionais;
  • Maior acesso ao conhecimento de especialistas;
  • Agilidade na comunicação interprofissional.
  • Expansão da capacidade de atendimento

Aplicações da Telemedicina

A partir do conceito de telemedicina, trazido tanto pela nova resolução quanto pela regulamentação vigente, você deve conhecer as aplicações dessa ferramenta. Veja que você pode aplicar esse recursos em uma ou mais atividades da sua clínica, como:

  • Consulta online: você atende seu paciente a qualquer hora, de qualquer lugar;
  • Bate-papo entre especialistas: você pode tirar dúvidas com outros profissionais e auxiliar colegas em casos complexos;
  • Leitura e interpretação de exames: você pode interpretar resultados de exames e solicitar laudos de outros profissionais conforme necessidade;
  • Monitoramento sem barreiras: você pode acompanhar, em tempo real, as indicações de aparelhos de monitoramento que estejam conectadas a seu paciente;
  • Cirurgia robótica: sim, é possível comandar aparelhos via internet durante procedimentos cirúrgicos. Cabe alertar que é necessária presença de um médico local.

Essas aplicações, além de beneficiar os pacientes, possibilitam que os profissionais acessem os melhores recursos para cada caso. Você pode implementar a telemedicina na sua estratégia de atendimento, inicialmente, de duas formas: na teleinterconsulta e no telediagnóstico.

Teleinterconsulta

A teleinterconsulta é a troca de informações e opiniões entre médicos, com ou sem a presença do paciente, para auxílio diagnóstico ou terapêutico, clínico ou cirúrgico.

Aqui, a telemedicina é aplicada como um canal de comunicação e compartilhamento de informações entre o médico assistente, responsável pelo caso, e outros médicos auxiliares. Assim, o médico pode contar com o conhecimento de outros profissionais especialistas e compartilhar informações com segurança. Nesse sentido, os médicos auxiliares respondem, de forma proporcional, ao plano terapêutico e ao diagnóstico.

Telediagnóstico

O telediagnóstico é o ato médico a distância, geográfica e/ou temporal, com a transmissão de gráficos, imagens e dados para emissão de laudo ou parecer por médico com Registro de Qualificação de Especialista (RQE) na área relacionada ao procedimento.

Com esse recurso, o médico assistente pode solicitar exames laboratoriais ou de imagem e contar com a interpretação e o laudo emitido por outro profissional. Assim, a tomada de decisão será fundamentada na análise dos melhores especialistas, sem limite geográfico ou temporal. Em outras palavras, você poderá entrar em contato com os melhores de cada área, independente de horário na agenda ou de cidade em que trabalham. Sem gastar com contratação e burocracia, sua clínica pode ter acesso aos melhores médicos do país.

Exigências para implantação

A Revista Saúde, do grupo Abril, listou algumas regras de ouro para aproveitar a telemedicina. Entre elas, estão a sincronia entre a humanização do atendimento e a adaptação à mudança; a estrutura adequada; segurança e consentimento; aprimoramento técnico em telemedicina.

Sincronia entre inovador e tradicional

As ferramentas tecnológicas não são substitutas das boas práticas das profissões. Assim, para utilizar o máximo potencial da telemedicina é preciso focar, principalmente, no atendimento humanizado. Você precisa, desde a implantação, criar estratégia para valorizar a humanização do atendimento ou das interações com outros profissionais a partir da tela de um computador. A tecnologia entrega as melhores possibilidades de expansão para seu negócio, mas a qualidade dessa decolagem depende de você.

Estrutura adequada

Você precisa pensar na estrutura necessária para implantar e utilizar a telemedicina. Integram essa estrutura, principalmente

  • Os dispositivos eletrônicos;
  • A conexão de internet;
  • A plataforma de telemedicina;
  • A plataforma de gestão da sua clínica.

O número de dispositivos, a capacidade de armazenamento e a velocidade de processamento são fatores que podem influenciar a qualidade do seu serviço. Por isso, faça as melhores aplicações de seus recursos. Escolha, sempre que possível, as melhores ferramentas do mercado, com preço justo e garantia de resposta para a finalidade que você deseja utilizar. Em relação à capacidade de armazenamento, leia nosso artigo sobre Migração de Software de Gestão e entenda as vantagens dos sistemas em nuvem. 

Segurança e consentimento

O médico não deve revelar dados do paciente a terceiros sem o consentimento do próprio paciente. As principais preocupações em relação aos dados dos pacientes são:

  • Perda do histórico do paciente;
  • Segurança das informações para sigilo médico-paciente.

Os melhores recursos para segurança dos dados na sua clínica são o blockchain e a nuvem. O Blockchain é um tipo de código de programação que funciona como uma cadeia de dados, em que cada bloco possui uma informação específica e exclusiva e um código de identificação do bloco anterior. Assim, o encadeamento dos blocos de informação garante o mapeamento da movimentação dos dados o que, por consequência, garante um alto nível de inviolabilidade das informações.

Para proteger os dados dos seus pacientes, leia nosso artigo sobre o tema, clicando aqui.

Principais benefícios da Telemedicina para clínicas médicas

A otimização, seja de tempo ou custos, é um dos maiores objetivos da telemedicina. Além de possibilitar mais agilidade na entrega de laudos e maior segurança e padronização de processos, a prática traz benefícios não só para a clínica como, também, aos próprios pacientes. O relacionamento online permite que os resultados de exames e laudos sejam enviados remotamente, sem a necessidade do deslocamento. Nesse sentido, os principais benefícios da adoção da telemedicina são:

  • Otimização de tempo x custo-benefício
  • Agilidade no tratamento e entrega de resultados
  • Armazenamento mais seguro e eficaz
  • Redução do tempo de espera para consulta

Redução do tempo de espera para consulta

Em entrevista recente para a Revista Veja, o novo presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einsten, Sidney Klajner, relatou que a principal transformação trazida pela telemedicina em outros países foi a diminuição do tempo de espera em centros de atendimento de urgência e emergência.

A diminuição do tempo de espera ocorre a partir de uma triagem online. O hospital é capaz de classificar o nível de urgência e agilizar os tratamentos. Assim, os casos mais complexos sejam, de fato, atendidos primeiro.

O médico, então, consegue utilizar seu tempo tratando as prioridades. Assim, os pacientes em casos mais simples, como gripes e enxaquecas, podem ter suas consultas à distância, sem a necessidade de ir à clínica esperar longas horas para, no final, receber uma prescrição de paracetamol, por exemplo.

Interação com Big Data

O mais famoso hospital da América Latina já está investindo na inovação. O médico e presidente do Albert Einstein acredita na inteligência artificial e no big data para a transformação tecnológica na área da saúde.

A tecnologia, a adoção de inteligência artificial, necessita de dados. Por isso, criamos uma diretoria de big data com 20 pessoas. Muito se fala que a moeda do futuro são os dados. Por isso, investimos num prontuário eletrônico e trouxemos a tecnologia dos Estados Unidos. Entendíamos que, localmente, não havia nada tão parrudo e tão sólido que pudesse fazer essa geração de dados.

Segundo o presidente da instituição, 300 mil atendimentos serão realizados até o final de 2019 no hospital, com utilização da Telemedicina.

O intuito é colocar o paciente correto na porta correta. No ano passado, tivemos 80 mil atendimentos por telemedicina. Para este ano, a previsão é de 300 mil atendimentos. – afirmou Sidney Klajner.

Para entender como a medicina se beneficia da Análise de Dados, leia nosso artigo: Inovação sem freios: Inteligência artificial e data analytics elevando o nível dos atendimentos médicos“.

Como um sistema de gestão pode ajudar a se preparar?

A discussão sobre Telemedicina destacou a possibilidade de atendimento médico sem contato físico, mantendo a qualidade a segurança dos atendimentos tradicionais. Além disso, mostra que a tecnologia atinge a prática médica com velocidade surpreendente. Por isso, você precisa estar preparado para as novidades do mercado.

As principais novidades que você deve conhecer são aquelas relacionadas com produtividade. Apesar de ter como foco o momento do atendimento ou o planejamento de diagnósticos, a Telemedicina também impacta a produtividade da sua clínica. As tecnologias multimídia, via internet, aplicadas na área da saúde, facilitam o contato entre o médico e seu paciente e podem funcionar desde o aparecimento do sintoma até o monitoramento continuado.  

Pense no seguinte fluxo:

  1. Surge um sintoma e paciente acessa app gratuito de pré-diagnóstico (clique aqui para saber mais);
  2. App de pré-diagnóstico sugere a sua clínica;
  3. Você disponibiliza agendamento online via app;
  4. Paciente agenda a consulta;
  5. Seu sistema de gestão envia lembretes programados via Whats App e SMS;
  6. Paciente comparece à consulta;
  7. Você solicita exames laboratoriais no seu próprio sistema, via integração com o sistema do laboratório;
  8. Após o atendimento, seu sistema envia pesquisa de satisfação automática;
  9. Paciente precisa viajar e, ao invés de cancelar a consulta de retorno, vocês combinam uma teleconsulta para devolutiva dos resultados dos exames laboratoriais.

Você concorda que o fluxo de trabalho é inovador, seguro e organizado?

Informações precisas e seguras

A regulamentação da telemedicina tem como base a segurança do paciente. Por isso, exige que os sistemas de teleassistência médica possibilitem o Sistema de Registro Eletrônico/Digital para cada paciente. Também é necessário que o sistema atenda os padrões do Nível de Garantia de Segurança 2 (NGS) e ao padrão ICP-Brasil. Em outras palavras, o sistema deve gerir, com segurança, todas as informações de consulta, nos processos de  

  • Captura;
  • Armazenamento; e
  • Transmissão.

Um prontuário eletrônico de teleconsulta deve conter algumas informações obrigatórias:

  • Identificação das instituições e dos profissionais envolvidos;
  • Termo de consentimento livre e esclarecido;
  • Identificação e dados do paciente;
  • Registro do início e do encerramento da consulta;
  • Identificação da especialidade;
  • Motivo da teleconsulta;
  • Observação clínica e dados propedêuticos;
  • Diagnóstico;
  • Decisão clínica e terapêutica;
  • Dados relevantes de exames complementares;
  • Identificação de condutas clínicas;
  • Relatório que contenha toda informação clínica relevante, validado pelos profissionais responsáveis pelo caso;
  • Encaminhamento ao paciente de cópia do relatório, assinado pelo médico assistentes, com assinatura digital.

Essas informações são a base da segurança do processo de teleconsulta, e não são novidades. Qualquer prontuário precisa mostrar essas informações, porque se tratam de dados de acompanhamento e descrição do caso. O maior diferencial do prontuário eletrônico é o armazenamento, que não exige muito investimento em estrutura física; sobretudo, porque a segurança está na nuvem.

Um sistema de gestão de clínica pode viabilizar todos os processos de atendimento: do agendamento à pesquisa de satisfação. Além disso, garante o registro adequado das informações dos pacientes e, com armazenamento em nuvem, garante a durabilidade desses dados.

Passo a passo para utilizar Telemedicina

O segredo do sucesso da sua empresa na utilização de telemedicina está no modo como você implanta. Você pode optar por ser um aventureiro e, mesmo com prontuários em papel, aderir à ferramenta. O mais adequado, no entanto, é que você estruture seus processos de atendimento internamente para, depois, introduzir uma nova estratégia.

1. Gestão tecnológica

Você não conseguirá implantar processos de telemedicina se ainda utiliza prontuário manual. Além disso, se você automatizou outros processos, como o agendamento, você corre o risco de estar pulando etapas. Afinal, a tendência é que a telemedicina aumente o número de atendimentos na sua clínica.

Sua empresa precisa estar preparada para acolher este crescimento de demanda. Imagine, por exemplo, se o número de ligações telefônicas aumentar. Não esqueça: sua secretária não é um robô; ela precisa das melhores ferramentas. Você também encontrará dificuldades em uma teleinterconsulta se não tiver, no mínimo, um sistema com integração com laboratórios e clínicas de radiologia. Ou você pretende enviar os resultados impressos, via correios, para que aproveitar o auxílio de outros especialistas? 

2. Conecte informações

A telemedicina é a inovação mais comentada, mas não é a única tecnologia disruptiva na prática médica. A medicina está tomada por recursos tecnológicos que facilitam a prática profissional e muitos benefícios para os pacientes. Outros exemplos são baseados na aplicação de inteligência artificial e a análise de dados É claro que essas tecnologias não são concorrentes da telemedicina, mas complementares. Afinal, as três ferramentas propõem-se a

  • Melhorar a qualidade do atendimento
  • Aumentar a assertividade no diagnóstico
  • Facilitar o contato médico-paciente

Você precisa conectar esses recursos e preparar sua clínica para a contratação de uma plataforma de telemedicina. Assim, você poderá, inicialmente, analisar os exames e, em poucos dias, terá acesso à opinião de outros especialistas em relação aos resultados. Até aqui, você já teria ganhos incríveis!

Agora, imagine se você pudesse utilizar esses laudos em conjunto com informações oriundas de banco de dados mundiais, com o cruzamento das informações do seu paciente com o restante da população. A chance de você acertar no diagnóstico diferencial é muito maior. Certo? Em síntese, essa é a contribuição da análise de dados para o dia a dia do seu consultório. 

3. Antecipe os concorrentes

Tenha em mente que, se todo o Brasil leu a resolução do CFM (atualmente, revogada), você não é o único a buscar informações sobre o tema. É provável que seus concorrentes também tenham sido alertados pelos comentários sobre essa ferramente. Outro fator preocupante é que a telemedicina pode aumentar sua concorrência. Afinal, mesmo que você atenda em uma cidade pequena e tenha a sensação de que não há concorrentes com a sua especialidade, a telemedicina viabiliza que um médico do outro lado do país atenda um paciente vizinho da sua clínica.

Portanto, antecipe os concorrentes e contrate um sistema de gestão para se preparar para a Telemedicina. Esteja preparado para expandir e dominar o seu mercado, sem barreira geográficas!

Conclusão

A telemedicina é realidade no Brasil. Apesar de não estar totalmente regulamentada, é uma tecnologia disponível no país e que mudará a dinâmica do mercado da saúde nos próximos anos. Por isso, se você é um médico inovador e se preocupa com a qualidade do serviço entregue aos paciente, você precisa estar preparado!

Um sistema de gestão online garante que as informações da sua clínica e dos seus pacientes estejam seguras, mesmo quando compartilhadas em teleconsultas. Além disso, o sistema cuida integralmente do seu negócio: desde o agendamento online até a pesquisa de satisfação, controlando áreas como estoque, finanças e arquivo.

Seja você um líder do mercado da saúde. Dê o primeiro passo na caminhada rumo à expansão. Clique no botão abaixo e experimente o impacto da inovação tecnológica.

Descubra as facilidades que estão esperando por você

Ative o agendamento online na sua clínica

Experimente agora

 

 

Sobre o Autor: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.