Inovação sem freios: Inteligência artificial e data analytics elevando o nível dos atendimentos médicos

Tempo de leitura: 14 minutos

Os empreendimentos na área da saúde são impactados diariamente pelas inovações tecnológicas. Você já deve ter percebido que a tecnologia humaniza o atendimento em saúde. Portanto, a combinação entre os conhecimentos da medicina e as alternativas surpreendentes do mundo tecnológico é praticamente inevitável; afinal, empreender é inovar! Por isso, sempre há espaço para se surpreender com as possibilidades de inovação no atendimento médico.

Os recursos em alta na área médica contam, principalmente, com dois conceitos: inteligência artificial e data analytics (ou Análise de Dados). Você já deve ter lido sobre algumas aplicações desses recursos no setor da saúde, especialmente, em grandes centros de pesquisa. O que você ainda não sabia é que é possível implementar esses recursos em clínicas particulares, no atendimento diário aos pacientes. Para isso, é preciso estar preparado.

E qual será o resultado?

Os empreendedores que estiverem preparados para a inovação no atendimento médico serão mais assertivos em suas práticas clínicas. Além disso, vão perceber uma significativa redução de custos.

Isso mesmo! Quem estiver preparado conseguirá acertar mais diagnósticos e tratamentos. E vai lucrar muito mais.

A tecnologia faz parte da vida do seu paciente e dos seus concorrentes. Você só tem duas opções: se preparar ou mudar de negócio!

Se você quiser saber como se preparar para a inovação no atendimento médico, leia o texto a seguir! Com estas informações, você estará a um passo de utilizar o melhor da tecnologia na inovação do seu atendimento médico.

O que é Inteligência Artificial?

A AI Trends define Inteligência Artificial como um conjunto de métodos, algoritmos e tecnologias que fazem um software adotar ações que se comparam com a inteligência humana. É uma forma de implementar em um software o melhor da tomada de decisão e dos processos criativos humanos.

Já a techopedia traz um conceito mais formal para o termo:

Inteligência artificial é uma área da ciência da computação com ênfase na criação de máquinas inteligentes que trabalhem e respondam como humanos”.

Muitas empresas estão utilizando soluções em inteligência artificial para ganhar destaque em seus respectivos mercados. Os três principais resultados para a empresas que utilizam softwares inteligentes são:

  • Otimização dos fluxos operacionais
  • Aumento da satisfação dos clientes
  • Descoberta de um novo diferencial competitivo

E o que é Data Analytics ou Análise de Dados?

Segundo o Cetax,

Analytics refere-se à possibilidade de utilizar dados, análises e raciocínio sistemático para seguir em um processo de tomada de decisão muito mais eficiente“.

É possível aplicar a Análise de Dados em diversos tipos de negócios: Varejo, Marketing, Finanças e, claro, na Área da Saúde. É o que aponta a datapine em seu artigo “12 Examples of Big Data Analytics In Healthcare That Can Save People

Entre os principais benefícios da utilização de Data Analytics em Saúde estão:

  • redução de custos de tratamento;
  • prevenção de surtos epidêmicos;
  • prevenção de doenças de alta prevalência;
  • implementação de estratégias para maior qualidade de vida da população.

Em outras palavras, aplica-se Análise de Dados em Saúde para identificar e acompanhar padrões e, com isso, planejar estratégias de intervenção. A partir dessa aplicação, surgem duas inovações no atendimento médico. Primeiro, a Medicina deixa de ser praticada no modelo tentativa e erro e passa a ser mais assertiva.

Consequentemente, há uma significativa redução de custos. Afinal, quantas vezes um tratamento pode ser sugerido como teste? Com certeza, escolher um procedimento que tenha maior potencial de tratar o paciente é mais interessante, tanto na intenção de respeitar a vida, quanto na perspectiva de gestão financeira do seu negócio.

Inteligência Artificial na prática médica

Reunimos exemplos atuais de utilização da IA em hospitais, clínicas e centro de pesquisas. Vejas as principais tendências que podem chegar até você nos próximos meses.

Identificação e análise de tumores

Um exemplo bastante conhecido de utilização da Inteligência Artificial na inovação do atendimento médico é o projeto InnerEye. A gigante Microsoft aprimorou um conceito já utilizado no Xbox’s Kinect para ajudar oncologistas e radiologistas na identificação e na análise de tumores. O projeto consiste em uma máquina que faz o delineamento automático de tumores e de anatomia saudável em imagens radiológicas em 3D. Os resultados dessa análise são:

  • A compreensão das medidas radiométricas;
  • O planejamento da radioterapia;
  • O planejamento preciso do procedimento cirúrgico mais adequado.

Antonio Criminisi, pesquisador responsável pelo projeto, afirma que a inovação no atendimento médico, trazida pela aplicação do InnerEye aos fluxos de trabalho de radiologias e oncologistas, é a precisão. Segundo o cientista, a informação mais importante a respeito de um tumor é a sua agressividade: o quanto afeta órgãos próximos a seu local de origem.

Isso pode ser inferido a partir da observação exata e diária da dimensão desse tumor. Portanto, a inteligência artificial do InnerEye é essencial para diagnósticos e prognósticos mais precisos nesses casos.

Assistente inteligente, atenta e divertida

A gigante Amazon está em constante inovação de seus produtos e de suas áreas de atuação. Seu próximo alvo é o setor de cuidados com a saúde a domicílio. Muitos já conhecem a assistente inteligente Alexa, que conta com mais de 15 mil funcionalidades executadas a partir do comando de voz. A assistente trabalha como uma “faz tudo” em termos de pesquisa. Você pede uma música, uma notícia ou uma informação específica e ela entrega rapidamente.

A Alexa, agora, é a cuidadora mais atenciosa do hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles. Dispositivos do modelo Alexa Echo serão instalados em 100 quartos da instituição. As principais contribuições do software para o cuidado ao paciente são:

  • Atenção em tempo integral às necessidades do paciente
  • Alerta automatizado aos profissionais.

A Alexa é capaz de categorizar os alertas e direcioná-los aos profissionais capazes de atender ao chamado:

  • Paciente reclama de náuseas ou pede algum medicamento: uma alerta para enfermeira;
  • Paciente reclama de tontura ou dor aguda: Alexa chama a médica;
  • Paciente pede para ir ao banheiro: Alexa chama uma técnica de enfermagem.

Agora, imagina se você, como gestor, tivesse em mãos uma ferramenta para fazer companhia e atender aos pedidos do paciente e, além disso, alertar a equipe profissional. Seria ótimo! A Alexa pode fazer isso.

  • Paciente pede música: ela toca sua playlist preferida;
  • Paciente pede notícias sobre o time de futebol: a Alexa pesquisa e narra todos os gols do final de semana.

A Alexa é uma assistente virtual, cujas funções nativas são dar auxílio ao dia a dia dos usuários. Por isso, essas funções de pesquisa, notícias e, até mesmo, leitura de ebooks, são mantidas na versão para hospitais. Percebeu como a tecnologia, além de otimizar a gestão, humaniza o atendimento?

Então, veja o próximo recurso tecnológico surpreendente.

Agulha inteligente para administração de medicamentos

Você já viu algum colega tremer na hora de puncionar um paciente agitado? A aplicação de medicamentos injetáveis e a punção para coleta de sangue são procedimentos delicados. Por isso, fica até difícil de imaginar uma agulha inteligente que pode guiar o profissional na hora de “pegar uma veia”. Mas ela já existe e está passando pelos últimos testes em modelos animais.

O dispositivo i2T2 foi desenvolvido por pesquisadores do Brigham and Women’s Hospital, na cidade de Boston, nos Estados Unidos. Consiste em uma agulha hipodérmica padrão, com um sensor capaz de detectar mudanças na pressão aplicada. Como cada tecido possui uma densidade diferente, o dispositivo evita que a agulha fique posicionada antes (ou depois) da área alvo. Portanto, sensor inteligente

  • Guia o caminho da agulha
  • Orienta quanto à profundidade da punção

Em estudo recente, publicado na revista Nature Biomedical Engineering , a equipe liderada pelo Dr. Jeff Karp descreve o funcionamento do i2T2:

Conforme o operador empurra o êmbolo da seringa, o injetor detecta a perda de resistência ao encontrar um tecido mais macio ou uma cavidade. Então, permite que a agulha avance e fornece quantidade útil de medicamento.

O estudo demonstrou que o i2T2 pode ser muito útil na administração de medicamentos no espaço supracoroidal, entre as camadas da esclera e coróide na parte de trás do olho. A precisão é o principal desafio nesse procedimento. Afinal, é preciso perfurar a esclera, cuja espessura é milimétrica, mas com extremo cuidado para não aprofundar a agulha, que nessa posição anatômica atingiria a retina.

Ufa! Agora, sim, você ficou surpreso, não é?!

Todas essas inovações são possíveis com base na produção de dados em saúde. A inteligência dos softwares copia os comportamentos humanos com base nas informações inseridas na programação. Logo, sem dados não há inteligência artificial.

Data Analytics: o que você precisa saber?

O InnerEye, a agulha inteligente e a Alexa são exemplos de recursos que podem chegar na vida diária dos seus pacientes. O que importa agora é que esse tipo de tecnologia funciona com a combinação de dois conhecimentos: a análise de dados e a inteligência artificial. A Alexa, por exemplo, é um sistema composto por várias funcionalidades que a aproximam de respostas humanas: o conceito de inteligência artificial.

Além disso, todas suas funcionalidades atuais e futuras são (e serão) baseadas em dados. Sua base serão conjuntos de informações que descrevam o comportamento dos usuários e das patologias, com dados demográficos e epidemiológicos. Em outras palavras, a inteligência deste sistema baseia-se nas informações às quais a Alexa tem acesso.

É nesse ponto, de certa forma, simples que mora o segredo: a inteligência artificial na saúde é uma tendência, mas ela precisa de dados.

Por isso, a geração, o arquivamento e a análise de dados são tão importantes.

Como você deve se preparar para inovar sem freios?

Os negócios na área da saúde serão baseados em informação. Portanto, os profissionais precisam estar preparados para gerar, gerir e aplicar essas informações. O resultado será um apoio técnico e científico para a tomada de decisões. Há uma potencial redução da probabilidade de erros diagnósticos ou terapêuticos.

Do agendamento aos exames laboratoriais

Você precisa ser capaz de armazenar informações dos seus pacientes. Afinal, um software é capaz de indicar soluções para sintomas com base em detecção de voz e em data analytics. Você também deve atuar com base no acompanhamento das informações de saúde do seu paciente. Além disso, deve estar preparado para utilizar os resultados de análise de dados mais complexos.

É evidente que você pode encontrar limitações. Se você trabalha com exames impressos, por exemplo, precisará de um depósito gigantesco no futuro. Também gastará muito tempo para buscar os arquivos no futuro. Se você trabalha com arquivos digitais, precisará de um servidor (ou muitos computadores “menores”) para arquivar tantos exames em formato pdf.

Não esqueça: o prontuário é do paciente, mas a responsabilidade é sua!

A solução está na nuvem. Aqui, todo registro e acesso a informações é possível. Afinal, armazenar dados da sua clínica na nuvem e acessá-los a qualquer momento já é uma realidade. Imagina associar essa possibilidade às facilidades do agendamento online e das tabelas de exame.

Tabelas como essa permitem a criação totalmente customizada para armazenamento de informações, como resultados de exames e outros dados importantes sobre seu paciente. Assim, a inovação no atendimento médico da sua clínica, começa no agendamento e vai além da pesquisa de satisfação.

Do cálculo do DAS28 à personalização dos exames oftalmológicos

Para produzir, gerir e aplicar dados, você deve ser capaz de acompanhar a evolução do paciente com simplicidade e clareza. Por exemplo, é essencial que um reumatologista tenha acesso a um cálculo iterativo do DAS28. Já um oftalmologista deve deve ser capaz de registrar resultados dos exames de sua especialidade. Você já sabe que, entre as principais tendências na área da saúde para 2019, a personalização do atendimento ganha destaque.

É nesse sentido que você deve respeitar as especificidades da sua área e buscar os recursos para otimizar os processos dentro de sua especialidade. Seu paciente sentirá o acolhimento necessário para que seu trabalho seja visto como personalizado e humanizado!

Visualização precisa; prescrição exata

Na Odontologia, o acompanhamento do histórico dos pacientes é um pouco diferente. É necessário saber as características e o estado de cada região bucal com a maior precisão possível. Uma solução indispensável é a visualização de cada dente, com imagens que demonstram todos os procedimentos aplicados. Assim, seu paciente terá inúmeros motivos para sorrir com seu atendimento!

Já na Oncologia, uma das maiores dificuldades é encontrar padrões nas prescrições. Por isso, o ideal é possuir ferramentas para geração de prescrições com cálculos e definição de dosagens conforme as características do paciente.

Lembra que a personalização é uma das principais tendências na inovação do atendimento médico? Assim, você terá o registro de todas as informações do paciente e poderá prescrever a partir dessas especificações.

Tecnologia para as mamães e para os bebês

Diante das infinitas possibilidades de inovação no atendimento médico, se você é Ginecologista e Obstetra, precisa ter acesso, pelo menos, a uma calculadora gestacional. Se não, você pode continuar fazendo marcações no calendário. Mas já falamos sobre personalização e humanização do atendimento, não é?

Explicar para a paciente esses cálculos pré e pós-natais pode ser desafiador. Então, você precisa mostrar com clareza a evolução gestacional e os aspectos da ultrassonografia que são mais relevantes. Além disso, precisa ter facilidade em relacionar essas informações com os exames laboratoriais.

Se você fizer isso, alcançará a tríade perfeita do seu negócio: informação + personalização = humanização.

Viu?! Você pode assumir as mudanças que vão preparar sua clínica para as tendências tecnológicas da área da saúde. Se você estiver preparado, saberá quais os próximos passos para adotar essas novidades.

Vamos fazer um teste? Responda esta pergunta: Por que o prontuário eletrônico é coisa do passado?

Conte conosco! Nós sabemos exatamente qual o próximo passo para a inovação no atendimento médico.

 

Sinta a facilidade que você pode ter todos os dias!

P.S: A sua clínica ainda não possui agendamento online?🤭

Experimente agora

 

Leia também nossos eBooks:

Marketing para médicos: Como transformar o Instagram em uma ferramenta poderosa (Clique para baixar)

Novas tecnologias para clínicas médicas: Porque a sua clínica não pode ficar de fora da transformação digital (Clique para baixar)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.