Medicina integrativa: Você sabe o que é e qual a importância?

Tempo de leitura: 7 minutos

Está cada vez mais comum inserir procedimentos alternativos dentro de hospitais e consultórios médicos. Um exemplo disso é a medicina integrativa, que tem ganhado espaço no mercado por abranger problemas físicos e emocionais. 

Não só os pacientes são beneficiados com o uso da medicina integrativa, como os médicos e profissionais da saúde também. Muitas vezes, usar esse procedimento no dia a dia pode trazer resultados melhores, o que causa entusiasmo na rotina. 

Já ouviu falar sobre medicina integrativa, mas ainda não sabe ao certo o que ela significa? Então, você está lendo o texto certo. Continue conosco e tire todas as suas dúvidas!

O que é medicina integrativa?

Você já deve ter ouvido falar que problemas mentais e emocionais podem causar doenças físicas, certo? O contrário também pode acontecer: problemas no nosso corpo podem causar complicações psicológicas, como depressão e ansiedade. É aí que entra a medicina integrativa, que cuida de todas as áreas do paciente enquanto indivíduo. 

Ela é um tipo de medicina que procura integrar todos os pontos do indivíduo. Isso quer dizer que, quando o paciente aparece no consultório com alguns sintomas, também devem ser levados em consideração outros quesitos, como corpo, mente e espírito, independente do problema ser físico ou psicológico. 

A medicina integrativa prega que um problema de saúde deve ser avaliado e solucionado com base em diferentes processos da medicina tradicional, mesclando com métodos alternativos que sejam eficazes e seguros. 


 

Esse novo processo pode ser utilizado por diversas áreas da saúde, como enfermagem, nutrição, psicologia, entre outros. É importante que todos tenham em mente que outros profissionais podem ajudar e fazer um tratamento em conjunto, sempre com o objetivo de trazer melhorias na saúde do paciente. 

Os tratamentos realizados na medicina integrativa podem ser feitos usando medicamentos tradicionais, indo dos fármacos, até uma cirurgia em último caso, mas também pode usar métodos alternativos. Alguns exemplos são massagens, florais, aromaterapia, fitoterapia, homeopatia, yoga, meditação, acupuntura, acompanhamento psicológico, entre outros.

Outro fator muito usado na medicina integrativa é a alimentação, mesmo que ela não seja uma das causas do problema de saúde do paciente. 

Todos os métodos de cura usados na medicina integrativa têm o objetivo de curar e aumentar a qualidade de vida e bem-estar do paciente. 

Por que é importante usar medicina integrativa no dia a dia?

O processo de cura envolve o bem-estar do paciente como um todo. Isso se mostra no nível de saúde do indivíduo, que é um equilíbrio de todas as áreas, ou seja, muito mais do que a ausência de um problema físico.

Já foi comprovado que, ao usar diferentes métodos de cura, o resultado é extremamente positivo para o paciente, pois o tratamento abrange diversos pontos da vida dele. 

As metodologias alternativas podem servir de apoio para doenças crônicas ou graves, como o câncer e problemas cardíacos ou respiratórios. 

Elas são importantes no tratamento, pois garantem que a mente, o espírito e as emoções do paciente também irão ganhar atenção especial durante o tratamento de uma enfermidade. 

Dessa forma, unidas com a medicina tradicional, os tratamentos alternativos conseguem ajudar a prevenir doenças e manter a qualidade de vida em um nível adequado.

Mudanças no relacionamento entre profissional e paciente

Quando o profissional de saúde tem muitos pacientes para atender, ele pensa em formas de atendimento mais específicas e formas de tratar o problema físico que eles estão apresentando.

A medicina integrativa demanda que o atendimento seja mais terapêutico, independente da sua área de atuação. Ao invés de dar um diagnóstico rápido, é importante perguntar quando os sintomas começaram a surgir, quando eles aparecem e o que o paciente faz para se sentir melhor. Fazendo isso, você tira o foco da doença e coloca na pessoa. 

Logo, no seu atendimento, o objetivo não será apenas curar o paciente, como também manter o ambiente agradável no momento em que ele está relatando um problema. 

Nesse sentido, saber ouvir é o grande segredo. Só assim você e seu paciente irão procurar as melhores alternativas para alcançar a cura como um todo. 

Para que isso aconteça da forma mais eficiente possível, quanto mais detalhes você conhecer sobre o paciente, melhor. É importante conhecer as reclamações, estilo de vida, em qual meio ele está inserido, situação financeira, realidade cultural e outras informações que permitam a você enxergá-lo de forma total. 

Muitas pessoas acham que isso é papel do psicólogo, mas isso não é verdade. Colher essas informações e saber ouvir vai permitir que você indique o melhor tratamento de forma personalizada para os seus pacientes. 

Quais são as vantagens da medicina integrativa?

Ainda que o caso do paciente seja grave, a medicina integrativa tem como objetivo trazer melhorias físicas e qualidade de vida para todos. 

Para que isso aconteça, os métodos alternativos precisam estar alinhados com o que o paciente acredita, suas crenças, princípios e filosofia de vida. Assim, o tratamento irá trazer alívio, alegria e esperança para ele, fazendo com que ele tenha mais chances de recuperação. 

Isso irá fazer com que os tratamentos alternativos sejam praticados pelos próprios pacientes sem que um médico tenha que pedir, mesmo depois que ele tenha sido curado, mantendo a manutenção do bem-estar e qualidade de vida.

Dessa forma, o paciente começa a perceber que ele também é responsável pela própria saúde, gerando um senso de auto-cura. Sendo assim, ele fica cada vez mais interessado em causar o próprio bem-estar.

É comum acontecer uma melhoria tão grande que os medicamentos não precisam mais ser prescritos, além de prevenir outras doenças que poderiam acontecer caso não ocorressem as mudanças na saúde. 

Por exemplo: vamos supor que um dos seus pacientes tenha se identificado com a yoga. Essa atividade auxilia o funcionamento do aparelho digestivo e dos intestinos. Sendo assim, esse paciente que faz as aulas regularmente não irá precisar de remédios e outros procedimentos realizados em quem tem dificuldades na digestão. Para melhorar ainda mais esse resultado, é só ter uma dieta saudável e equilibrada. 

Como começar a oferecer um tratamento baseado em medicina integrativa?

A medicina integrativa exige estudo e dedicação, assim como todas as áreas da saúde. Mas, existem algumas formas simples de começar a oferecer um tratamento baseado nesse tipo de prática no consultório enquanto você aprende mais sobre ela.

Quando for recomendar medicamentos e tratamentos alternativos para um paciente, considere todas as abordagens terapêuticas, todos os profissionais de saúde e todas as disciplinas. Assim, você garante uma melhoria contínua na saúde dos seus pacientes. 

Ao falar as suas recomendações, enfatize o porquê aquilo é importante para a saúde e ensine formas de prevenir que o problema que o paciente está enfrentando ocorra novamente, além de evitar que doenças decorrentes desse problema acabem se instalando no organismo. 

Pense sempre que o plano de tratamento deve ser algo integrado e compartilhado entre todos os profissionais de saúde envolvidos nele. Se quiser, você mesmo pode indicar um médico que complemente o seu atendimento e vice versa. Dessa forma, fica mais fácil acompanhar a evolução do paciente. 

Esperamos ter tirado todas as suas dúvidas sobre medicina integrativa. Se você ainda tem perguntas na sua cabeça, não durma com elas! Deixe nos comentários!

 

Sobre a autora: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.