Assine a newsletter
e receba nossos
conteúdos.

Assine a newsletter

Plano de negócios para clínica médica: passo a passo com os principais benefícios

Tempo de leitura: 9 minutos

O plano de negócios para clínica médica é o documento escrito que contém os objetivos, os métodos e o tempo necessário para atingir cada objetivo. O documento também descreve a natureza do empreendimento, o mercado de atuação, as projeções financeiras da empresa e as estratégias de crescimento. Por isso, o plano de negócios deve ser utilizado como um mapa para direcionar a atuação da clínica. 

Sabemos que o médico empreendedor enfrenta diversos desafios em seu dia a dia. Por isso, trazemos esse tema importante para a gestão de clínicas médicas. 

O plano de negócios é um instrumento muito utilizado em outros mercados, mas muitas empresas da área da saúde ignoram seus benefícios. Neste texto, você vai compreender:

  • a necessidade de criar um plano de negócios;
  • as principais vantagens de utilizar o instrumento;
  • como elaborar o documento passo a passo.

Leia até o final para aproveitar um conteúdo bônus. 

É necessário fazer plano de negócios para clínica médica?

Só se você quiser reduzir os riscos e aumentar o potencial de crescimento da sua empresa. Afinal, o plano de negócios é o documento que retrata o mercado no qual sua clínica estará inserida.

Além disso, apresenta a proposta de valor da sua marca, descrevendo os objetivos do seu negócio e os passos para alcançar esses objetivos. Também demonstra os principais riscos e incertezas, facilitando a tomada de decisões durante o funcionamento da empresa.

Ao considerar que o mercado da saúde está sempre em evolução, a importância do plano de negócios aumenta. Sem ele, sua clínica corre grandes riscos de sofrer com as crises. No documento, é possível indicar diferentes cenários e as estratégias da empresa para lidar com eles. 

Assim, você descreve algumas hipóteses de movimentos do mercado e seleciona as variáveis mais importantes para manter o crescimento da clínica.

Quais as vantagens de ter um plano de negócios formalizado?

O plano de negócios é importante tanto para a abertura quanto para o crescimento da clínica médica. É claro que o planejamento não elimina os riscos inerentes ao empreendedorismo. No entanto, é um instrumento com finalidade de evitar falhas na gestão por falta de análise de informações relevantes.  

O documento ajuda a:

  • organizar as ideias iniciais de uma clínica médica;
  • orientar a expansão do seu negócio;
  • selecionar os principais indicadores de performance;
  • facilitar a comunicação entre sócios, investidores, funcionários e parceiros;
  • captar recursos novos. 

O planejamento é um guia para o empreendedor desenvolver sua atividade econômica da forma mais adequada. Por isso, após estruturado, o plano de negócios possibilita que a empresa:

  • determine as principais visões e alternativas para análise correta da viabilidade dos negócios desejados;
  • reconheça suas vantagens competitivas;
  • solicite empréstimos e financiamentos para projetos específicos;
  • defina objetivos financeiros;
  • mapeie o perfil de seu cliente ideal para estratégias de marketing
  • minimize os riscos diretos e indiretos da atividade.

Dessa forma, quando a empresa coloca em prática os preceitos de seu plano, pode-se afirmar que o instrumento atingiu sua maturidade técnica. Nesse momento, é possível alterar as diferentes partes do documento. 

Afinal, assim como a empresa e o mercado, o plano de negócios também deve evoluir. Por isso, desde o início deve focar nas possibilidades de mudança do empreendimento. Embora retrate o cenário inicial, deve considerar a dinâmica das relações econômicas para estabelecer alternativas viáveis em caso de crises ou de oportunidades. 

A seguir, veja como construir um plano de negócios para clínica médica: passo a passo. 

Como elaborar um plano de negócios?

O instrumento é dividido em seções, que incluem informações sobre diferentes setores de influência interna e externa no projeto. Cada seção, portanto, possui um propósito específico, que deve ser compreendido facilmente por quem tiver acesso. 

O tamanho pode variar de acordo com o modelo de negócios. Outro fator que pode determinar o nível de detalhamento das informações é o propósito do plano. Em geral, documentos que serão utilizados para captação de investimentos exigem maior aprofundamento, principalmente, quando se refere ao como fazer; ou seja, às propostas de ação na prestação de serviços. 

Todavia, não há uma estrutura rígida para elaboração do documento. Utiliza-se o registro culto da Língua Portuguesa e busca-se coesão na formação. Isso facilita a leitura e a compreensão do seu plano. 

Vamos às etapas. 

Passo 1 – Reunir informações

O primeiro passo para elaborá-lo é conhecer o ramo de atividade. Você precisa buscar informações sobre o mercado da saúde, sobre a saúde suplementar e sobre as principais inovações do setor. Assim, estará preparado para definir as principais necessidades do mercado e para planejar a proposta de valor da sua clínica. 

Aqui no Blog da Amplimed você encontra todas tendências da área da saúde. Mas você também pode buscar dados do mercado com órgãos oficiais e empresas especializadas. Para isso, acompanhe:

A AMB, por exemplo, é responsável pelo estudo “Demografia Médica 2018”, que reúne informações como formação, distribuição e remuneração dos profissionais da medicina no país. 

Se você quiser saber mais sobre este primeiro passo, baixe nosso “Guia Prático: como abrir uma clínica com os olhos na transformação”.

Passo 2 – Análise de mercado

Após reunir as informações é o momento de analisar o mercado. Essa é uma das etapas mais importantes por ser a base para futuras tomadas de decisão. Nesse segundo passo, é importante definir quem serão os clientes, quem são os concorrentes e possíveis parceiros, como fornecedores e laboratórios.

Depois dessas definições básicas, você pode listar os tipos de serviços fornecidos. Se você iniciará uma clínica multiprofissional, por exemplo, decida quais são as especialidades, quais procedimentos serão oferecidos e qual o preço médio por consulta. 

Essa estimativa de preço é útil, nesse momento inicial, para definir o poder aquisitivo do público-alvo da sua clínica. No mesmo sentido, você pode decidir se fará atendimentos por convênios ou planos de saúde. 

Para ajudar no seu planejamento, criamos o artigo: “Convênios Médicos: vantagens e desvantagens em ter na sua clínica”

Então, as informações coletadas na análise do mercado serão a base do planejamento de cada setor da empresa. Veja a seguir. 

Passo 3 – Plano de marketing

A Rock Content, empresa especialista na área, traz a seguinte definição para marketing:

Processo de atração, conversão e retenção de clientes por meio da geração de valor sobre um produto, serviço ou marca. A função do marketing é compreender o mercado e os consumidores para criar relacionamentos valiosos e gerar lucro.

Portanto, as estratégias de marketing são direcionadas para:

  • vender mais;
  • fidelizar clientes;
  • aumentar a visibilidade;
  • gerenciar uma marca;
  • construir boas relações;
  • educar o mercado;
  • engajar colaboradores. 

Dessa forma, as iniciativas de exposição externa da marca, bem como a qualificação interna, são princípios que devem ser considerados no seu plano de marketing.

Para ajudar no seu planejamento, separamos os melhores conteúdos sobre marketing médico. Veja:

Passo 4 – Plano operacional

O planejamento operacional descreve o “como fazer” do seu negócio. Aqui, são listadas as principais características estruturais: 

  • localização;
  • instalações físicas; e 
  • equipamentos. 

Assim, você pode fazer estimativas sobre a capacidade de atendimento da clínica e selecionar os recursos que fazem maior diferença para um melhor desempenho. 

Pense em quais equipamentos, colaboradores e tecnologias podem ajudar a reduzir custos e aumentar a eficiência operacional. Em outras palavras, determine quais serão os investimentos com maior potencial de retorno em economia de tempo e aumento da lucratividade. 

Um nível maior de detalhamento das etapas operacionais facilita a elaboração de estratégias para evitar desperdícios e otimizar rotinas. Para isso, também é importante indicar os custos pré-operacionais: aluguel do imóvel, taxas de registro, compra de equipamentos, etc. 

Veja alguns conteúdos que vão ajudar no seu planejamento operacional: 

Passo 5 – Plano Financeiro

Nesta fase de planejamento financeiro, você terá as informações para decidir quanto ao investimento necessário e as fontes de receita da empresa. Para isso, faça estimativas de:

  • custos iniciais;
  • despesas e receitas;
  • capital de giro;
  • fluxo de caixa;
  • evolução da lucratividade. 

Além das estimativas financeiras, você precisará tomar decisões fiscais e tributárias. Por exemplo, você deve escolher o regime de tributação da sua clínica: simples nacional, lucro real ou lucro presumido. 

Após essa etapa, chega o momento de definir o investimento fixo inicial e capital de giro do seu negócio. Dessa forma, você terá maior controle sobre o fluxo financeiro, o que traz maior segurança para seu empreendimento. 

Quer desenvolver um planejamento financeiro eficaz para sua clínica médica?

Baixe agora nosso ebook “Gestão Financeira para Clínicas Médicas”. Nele apresentamos, em detalhes como:

  • definir o regime de tributação;
  • calcular o investimento inicial e o capital de giro;
  • controlar  o fluxo de caixa;
  • reduzir os custos operacionais. 

Preencha o formulário abaixo e faça o download gratuito.


 Sobre o autor: 

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.