Assine a newsletter
e receba nossos
conteúdos.

Assine a newsletter

8 passos para ter mais segurança de informações na clínica médica

Tempo de leitura: 9 minutos

A segurança de informações na clínica médica é um assunto cada vez mais discutido entre profissionais de saúde. Por isso, cada um deles é responsável por trazer novas maneiras de melhorar essa questão dentro do consultório.

Além de não conseguir mais atender as necessidades de rotina de uma clínica, o papel oferece outros malefícios, como a falta de segurança, agilidade e eficiência. É muito fácil perder, acessar ou furtar um documento escrito.

Sendo assim, os documentos digitais são uma ótima saída. Mas, eles precisam ser utilizados de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que garante a segurança de informações na clínica médica e de seus pacientes.

Uma boa maneira de se proteger contra ataques cibernéticos é utilizando sistema de gestão em nuvem. Para isso, basta pesquisar por empresas que oferecem serviços seguros e evitar softwares gratuitos ou que são instalados no computador.

Algumas práticas simples podem ajudar muito na segurança de informações na clínica médica. Acompanhe esse texto e veja o que você pode mudar no seu consultório para melhorar a experiência do paciente.

Qual a importância em manter a segurança de informações na clínica médica?

Segundo a resolução n°2.217/2018 do Conselho Federal de Medicina, médicos são proibidos de expor dados sigilosos obtidas durante exames médicos de pacientes. Eles também devem assumir a responsabilidade quando essa ação for praticada, mesmo com o consentimento do paciente ou de seu responsável legal.

Em outras palavras, vazamentos de informações importantes sobre o paciente não podem acontecer. Mesmo que não tenha sido um ato criminoso, o médico ainda terá que responder pela infração.

A LGPD dita os deveres de empresas que trabalham com dados pessoais, principalmente aquelas relacionadas a saúde. Confira alguns deles abaixo:

  • Identificar todos os dados armazenados no consultório e se estão salvos em meios físicos ou digitais
  • Pedir o consentimento de todos os pacientes e funcionários sobre a forma de armazenamento de dados e como eles serão utilizados
  • Gerar relatórios de dados para órgãos específicos, como a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) e o Sistema Nacional de Proteção do Consumidor, que podem solicitar o documento sempre que acharem necessário
  • Relatar qualquer incidente relacionado a segurança de informações na clínica médica para a ANPD, Procon e Senacon

A segurança de informações na clínica médica também está relacionada a qualidade de vida dos pacientes. Tendo a segurança necessária, é mais fácil oferecer um atendimento de qualidade para seus clientes.

Se é isso que você espera alcançar com a transformação digital da clínica, confira abaixo 8 passos para ter mais segurança de informações na clínica médica!

Dicas para ter mais segurança de informações na clínica médica

Analise todos os riscos de segurança de informações da clínica médica

Ainda que sejam uma das maneiras mais seguras de armazenar dados, os meios digitais também oferecem riscos, como os ataques cibernéticos. Mas, as precauções para evitar esse tipo de situação são simples.

O primeiro passo é analisar seu dia a dia e identificar quais são os riscos de segurança de informações da clínica médica.

Caso você precise de ajuda para essa avaliação, veja alguns dos principais erros cometidos em consultórios e que podem prejudicar a segurança da clínica e do paciente:

  • Compartilhamento de senhas
  • Armazenar informações importantes em locais de fácil acesso
  • Navegar em sites e sistemas sem certificação SSL

Você também pode procurar ajuda de um profissional especialista em segurança de dados para mapear os riscos que você corre diariamente e evitar que eles continuem acontecendo.

Criptografe todos os dados armazenados

As informações sigilosas dos pacientes e da clínica devem estar armazenadas em ambiente digital criptografado e que ofereça níveis de autorização de acesso.

A criptografia é um mecanismo que codifica os dados para que somente pessoas autorizadas possam acessá-los.

Alguns softwares médicos utilizam a criptografia SSL 256 bits, a mesma utilizada em sistemas bancários. Assim, somente profissionais de saúde autorizados podem acessar as informações dos prontuários médicos.

Dessa forma, além de proteger os dados dos pacientes, você também estará cuidando da sua imagem profissional. A criptografia permite uma segurança de informações na clínica médica muito maior do que os documentos em papel podem oferecer.

Crie senhas fortes e seguras

É comum as pessoas utilizarem a mesma senha para todos os seus logins. Isso pode parecer algo bastante prático no dia a dia, mas representa um grande risco de segurança.

Quando vamos criar um cadastro em algum site, a maioria das empresas pede que a senha tenha no mínimo 6 ou 8 caracteres, letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos, certo?

Criar suas senhas usando esse padrão faz com que elas sejam mais difíceis de serem codificadas e descobertas. Evite ao máximo usar sequência de números ou letras (1234 e abcd).

Outra dica importante é procurar um gerador de senhas automático. Assim, suas senhas sempre serão criadas seguindo as normas de segurança.

Salve os dados em nuvem

Quando o assunto é segurança de informações na clínica médica, o armazenamento de dados é o ponto fraco. Dependendo do local de sua escolha, você pode ter toda segurança que precisa ou sofrer o risco de perder todas as informações em segundos.

Por isso, é importante buscar formas seguras de armazenamento, como os sistemas em nuvem. Com ele, você irá salvar os dados em um servidor online, que ficará disponível para acesso a qualquer hora e em qualquer dispositivo móvel.

Além disso, caso seu aparelho quebre ou seja furtado, suas informações ainda estarão seguras, pois elas não estão armazenadas no dispositivo, e sim de forma online. Você também consegue garantir que nenhum dado será perdido, fator essencial para órgãos regulamentadores, como o CFM.

Use ferramentas voltadas para a área da saúde

Hoje em dia, existem diversos sistemas especializados em gestão de empresas. Por isso, escolher o melhor entre eles pode ser uma decisão difícil, pois a grande maioria trabalha de acordo com a norma de proteção de dados.

Sendo assim, opte sempre por aqueles que são especializados em necessidades médicas. Eles são a melhor opção pois sabem exatamente do que você precisa para oferecer o melhor atendimento aos pacientes e entendem como ninguém a importância ainda maior de proteger dados médicos.

Antes de escolher o seu sistema de gestão médica, analise as seguintes características:

  • O sistema oferece funcionalidades voltadas para sua especialidade?
  • Os desenvolvedores do sistema entendem sobre segurança médica?
  • São feitas atualizações diárias de armazenamento de dados?
  • O prontuário eletrônico segue normas que garantem validade judicial?
  • Possui níveis de acesso diferentes para profissionais de saúde e secretárias?
  • Consegue exportar dados de maneira rápida?

Esses parâmetros podem mostrar se o sistema é capaz de oferecer mais segurança de informações na clínica médica. Se a maioria das respostas forem positivas, é uma ótima notícia!

Treine os funcionários

De nada adianta você conhecer as melhores práticas para ter mais segurança de informações na clínica médica se outros funcionários não estão fazendo o mesmo, certo?

Erros que podem parecer comuns também são responsável por facilitar a invasão de hackers e colocar em risco a segurança de dados sigilosos dos pacientes e do seu consultório.

Por isso, ofereça treinamentos para os funcionários que expliquem a importância de práticas de segurança digital no dia a dia.

Veja algumas dicas simples, mas que podem fazer toda diferença na segurança de informações da clínica médica:

  • Não acessar sites sem HTTPS ou ícone de cadeado
  • Evitar repassar correntes no WhatsApp ou Messenger sem verificar a veracidade das informações
  • Nunca compartilhar senhas entre os funcionários

Caso seja necessário, você também pode procurar a ajuda de um profissional especializado para tirar todas as dúvidas da sua equipe.

Faça um seguro de riscos cibernéticos

Essa dica não é obrigatória, mas pode salvar a sua clínica, caso precise ser utilizada. O seguro de riscos cibernéticos irá proteger seu consultório e sua reputação profissional em qualquer situação que comprometa a segurança de dados.

Atualmente, existem seguros capazes de cobrir custos legais, como multas de vazamentos de dados. A LGPD estipula valores que podem chegar até R$50 milhões.

Assim como um seguro de de carro ou de vida, o seguro de riscos cibernéticos não é obrigatório, mas pode te trazer mais tranquilidade no dia a dia.

Contrate um responsável de dados digitais para a sua clínica

Nomear uma pessoa responsável pelas medidas de de segurança de informações é uma prática enfatizada pela LGPD. Dessa forma, você garante que todas as ações sejam feitas de acordo com a lei e verificar se todos os funcionários estão seguindo as mesmas práticas.

Também faz parte das funções desse profissional pesquisar novas atividades e ferramentas que podem melhorar ainda mais o nível de segurança de informações da clínica médica. É ele que relata qualquer problema de segurança para os órgãos competentes, como a ANPD.

Conclusão

Viu como manter a segurança de dados na clínica médica é mais fácil do que você imagina? Para ter tudo que precisa e oferecer o melhor atendimento para seus pacientes, conte com a ajuda do sistema médico em nuvem Amplimed!

Visite nosso site para conhecer mais sobre nossos serviços! Preenchendo o formulário abaixo, você pode testar o sistema por 10 dias grátis. Aproveite!


 

Assinatura Julia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.